Queda do preço do petróleo reforça a necessidade de investir em renováveis

Introdução

A Petrobras anunciou hoje que irá reduzir seu plano de investimento em 32 bilhões de dólares devido à mudanças de variáveis de mercado como o preço do petróleo e da taxa de câmbio. A queda do preço do petróleo eleva a volatilidade nesse mercado – o que pode prejudicar a economia global – e pode ser vista como um fator que complicará a transição para as fontes limpas e renováveis de energia. No entanto, o oposto também é verdade. O baixo preço deste combustível fóssil é justamente uma oportunidade para que governos reduzam e coloquem um fim aos subsídios à fonte já que o impacto desta medida seria amortecido. Também trata-se de um momento para que investimentos sejam direcionados para as fontes renováveis como solar e eólica – vale mencionar que  a força dos ventos deve se tornar a segunda maior fonte de geração de energia no Brasil até 2020. As fontes renováveis têm pouco custo operacional após suas instalações, podem estabilizar o preço da energia, podem ser cada vez mais competitivas – mesmo quando o preço do petróleo voltar a subir – e trazem benefícios para a saúde, para o clima e para populações. O mercado do petróleo não é o único a enfrentar dificuldades: se 2015 foi o ano em que o carvão entrou em decadência, 2016 deve ser a confirmação de que o único caminho para este combustívei fóssil é seguir ladeira abaixo. A China anunciou que não permitirá a abertura de novas minas de carvão durante os próximos três anos e, no ano passado, os Estados Unidos teve a menor produção de carvão nos últimos 30 anos.

Tweet

Ações

Pontos-chave

Recursos

Cobertura de imprensa

Relatórios, Estudos e Links Úteis

Infográfico

Imagens

Alertas relacionados

Mais tweets